Retrospectiva: 10 mulheres que marcaram o ano de 2009

Hoje, navegando pelo site Mundo Ela vi essa reportagem e resolvi publicar aqui:

Site: http://www.mundoela.com.br

Autora: Sabrina Abreu

Todo ano, alguns nomes se destacam sobre todos os outros. Algumas vezes, por eventos positivos, outras, por razões tristes. De um jeito ou de outro, é impossível não relembrar estas dez mulheres que marcaram nossos últimos trezentos e tantos dias.


Rihanna
– Depois que sofreu agressões do astro pop Chris Brow, seu ex-namorado, ela ficou no centro da cobertura da imprensa mundial, em fevereiro. Todos queriam falar um pouquinho sobre o caso. Para surpresa geral, Rihanna voltou a namorar Chris Brow, em março. Retomando a consciência, ela rompeu o relacionamento, porque temia ser um mau exemplo para outras mulheres que passaram por situação parecida. Que susto!

Oprah Winfrey – A apresentadora multimilionária é fonte de inspiração para mulheres do mundo todo. Ela nasceu negra num estado sulista maricano, então, muito racista, o Mississipi. Foi molestada sexualmente e engravidou aos 14 anos (e perdeu a criança!). Há mais de duas décadas ela é a atração número um da TV americana, atraindo mais de 7 milhões de espectadores para a frente da TV (isso só nos EUA, sem contar as reprises mundo afora). Pois bem, apesar de todo esse sucesso, Oprah anunciou, em dezembro deste ano, que o fim de seu talk show diário tem data marcada: será em 2011. Uma notícia que abalou o showbiz (e milhões de fãs nos cinco continentes).

Marta foi eleita melhor jogadora fela Fifa pela quarta vez seguida

Marta – A jogadora de futebol, aos 23 anos, é a atleta com mais premiações individuais na história da Fifa (em segundo estão os jogadores Ronaldo e Zidane, cada um com três prêmios). Ela foi eleita a melhor do mundo, novamente em 2009 (é a terceira vez consecutiva). Marta declarou que quer usar sua notoriedade para incentivar a profissionalização do futebol feminino no Brasil.
Elinor Ostrom – Em outubro, ela marcou não só 2009, mas também a história, por ser a primeira mulher a receber o Prêmio Nobel de Economia. Outras quatro mulheres receberam a honraria em diferentes categorias neste ano.

Cleonice Berardinelli – Aos 93 anos, a professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro e da PUC-Rio e maior especialista brasileira em literatura portuguesa no Brasil tornou-se uma imortal da Academia Brasileira de Letras. Ela passou a ocupar a cadeira número oito, que já foi de Oliveira Viana, Austregésilo de Athayde, Antonio Callado, e Antonio Olinto.

Madonna – Uma retrospectiva que fale de mulheres marcantes não poderia passar sem ela. Em 2009, com a turnê “Sticky & Sweet”, Madonna bateu seu próprio recorde na categoria “turnê mundial de artista individual”. A excursão foi composta por 85 shows e foi a mais lucrativa de todos os tempos (para um artista individual), alcançando uma arrecadação de US$ 408 milhões e sendo vista por 3,5 milhões de pessoas.

A iraniana Neda Agha-Soltan foi morta durante um protesto em Teerã. O momento foi captado por uma câmera e rodou o mundo, via Facebook

Fernanda Young – Considerada uma intelectual, a escritora, apresentadora e roteirista gerou polêmica ao estampar a capa da revista Playboy de novembro. Blábláblás à parte, a vendagem foi boa, e a edição está assegurada entre as cinco mais lucrativas do ano.

Geisy Arruda – A estudante de turismo da Uniban foi vítima de insultos (e, por pouco, de violência física) dos colegas por usar um microvestido. Depois de muita confusão, ela deu a volta por cima, sendo convidada para desfilar no Carnaval de São Paulo pela escola Leandro de Itaquera, dando entrevistas em diferentes programas nacionais e fazendo cirurgia plástica com o mesmo médico que operou Carla Perez. Geisy também chegou a ser cotada para posar nua para revistas masculinas, mas nada foi confirmado.

Neda Agha-Soltan – Parte especialmente triste do ano, mas que não poderia deixar de ser relembrada, a morte da jovem iraniana de 16 anos, no mês de junho, chocou o mundo e chamou a atenção para o regime autoritarista dos aiatolás (líderes religiosos iranianos) e do presidente Mahmoud Ahmadinejad. O momento da morte de Neda foi filmado e rodou o mundo, via Facebook.

Raquel Zimmerman – A top model começou o ano sendo considerada a modelo número um do mundo. Por causa dela, o desfile da Animale, na São Paulo Fashion Week de janeiro, foi o mais disputado. Neste fim de ano, o site “Models Brasil” confirmou o nome de Raquel acima das outras colegas de passarela (Adriana Lima e Alessandra Ambrósio conquistaram o segundo e terceiro lugares, respectivamente). Ah, um detalhe: Gisele Bündchen, mamãe de primeira viagem, não participou da votação, por ser considerada hours concours.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: